Sem dinheiro para viajar? Em novembro turistas podem se hospedar de graça na Itália

Não tem dinheiro suficiente para uma viagem a Itália? Não há problema. De 14 a 20 de Novembro não vai ser preciso levar dinheiro na carteira para pagar a sua estadia. Turistas que estão com pouco dinheiro e não se importam de realizar pequenos serviços durante as férias já podem começar a arrumar as malas rumo à Itália. Isso porque na semana de 14 a 20 de Novembro acontece a tradicional La Settimana del Baratto (Semana da Permuta). Milhares de pousadas italianas aderiram à ideia de dar hospedagem a viajantes em troca de serviços ou produtos. Para aproveitar a oportunidade, os hóspedes podem listar as habilidades que oferecem no site oficial da La Settimana del Baratto, disponível em inglês ou italiano. Outra possibilidade é buscar as demandas das propriedades e entrar em contato com elas para negociar a estadia — também por meio do site.

A lista de demandas e de ofertas de serviços e produtos é grande. Os principais, segundo a organização, são serviços de manutenção, trocas de hospedagem por comida e vinhos e auxílio em comunicação. Há vários turistas oferecendo tradução, aulas de línguas, serviços de pintura, murais artísticos, jardinagem, criação de identidade visual (como logotipos, fotografia etc). Quanto aos produtos, várias pousadas pedem objetos de decoração, objetos antigos, itens de coleção e até produtos da região de onde vêm os viajantes.

O evento foi criado em 2009 pelo site bed-and-breakfast.it e este ano completa sua oitava edição. No primeiro ano, cerca de mil unidades aceitaram fazer parte da iniciativa, agora esse número já duplicou. Nesta oitava edição mais de 2 mil propriedades participando da iniciativa e quase um milhão de turistas já participaram, segundo a organização. Algumas pousadas, inclusive, estão abertas a fazer esse tipo de troca durante todo o ano. No ano passado, o site de divulgação da La Settimana de Baratto registou mais de dez mil pedidos e propostas. Segundo os dados recolhidos as propostas dos hoteleiros era uma viagem em sentido contrário – 25% ofereceram a estadia em troca de outra estadia noutro país.

Ainda segundo o site, os pedidos mais frequentes são ajuda na melhoria das instalações (19%) ou apoio na comunicação e no marketing (15%). Por parte dos viajantes, a oferta mais comum é a ajuda nos projetos de comunicação (37%), incluindo em fotografia e vídeo, traduções ou na gestão das redes sociais; 14% oferece apoio nas reparações e 12% propõe aulas em atividades concretas, como tricot ou dança do ventre.

Compartilhar:
}