Programa Ciência sem Fronteiras

O Ciência sem Fronteiras é um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento – CNPq e Capes –, e Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

O projeto prevê a utilização de até 101 mil bolsas em quatro anos para promover intercâmbio, de forma que alunos de graduação e pós-graduação façam estágio no exterior com a finalidade de manter contato com sistemas educacionais competitivos em relação à tecnologia e inovação. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas prioritárias definidas no Programa, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior.

Objetivos do Programa

  • Investir na formação de pessoal altamente qualificado nas competências e habilidades necessárias para o avanço da sociedade do conhecimento;
  • Aumentar a presença de pesquisadores e estudantes de vários níveis em instituições de excelência no exterior;
  • Promover a inserção internacional das instituições brasileiras pela abertura de oportunidades semelhantes para cientistas e estudantes estrangeiros;
  • Ampliar o conhecimento inovador de pessoal das indústrias tecnológicas;
  • Atrair jovens talentos científicos e investigadores altamente qualificados para trabalhar no Brasil.

Áreas contempladas pelo CsF

  • Engenharias e demais áreas tecnológicas;
  • Ciências Exatas e da Terra;
  • Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
  • Computação e Tecnologias da Informação;
  • Tecnologia Aeroespacial;
  • Fármacos;
  • Produção Agrícola Sustentável;
  • Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
  • Energias Renováveis;
  • Tecnologia Mineral;
  • Biotecnologia;
  • Nanotecnologia e Novos Materiais;
  • Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais;
  • Biodiversidade e Bioprospecção;
  • Ciências do Mar;
  • Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
  • Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
  • Formação de Tecnólogos.

Como participar do programa?

Os candidatos de graduação precisam estudar em instituições brasileiras que tenham aderido ao programa. Já os de doutorado-sanduíche e doutorado pleno precisam ser aceitos nas universidades estrangeiras em que pretendem estudar antes de se inscreverem no programa. O candidato de ficar atento às chamadas que são abertas e divulgadas no site do programa. As regras e os requisitos são disponibilizados em cada edital de acordo com a modalidade. As dúvidas sobre as chamadas podem ser esclarecidas pelo site do programa ou pelo telefone 0800-616161.

Por que o ENEM é pré-requisito para participação no programa?

O ENEM é considerado não apenas um indicador de qualidade para o ensino médio, mas também um dos instrumentos de política pública voltado a permitir maior democratização das oportunidades de acesso ao ensino superior. Procedeu-se a adoção do ENEM como indicador de mérito acadêmico atribuído aos candidatos do Programa Ciência sem Fronteiras da modalidade “Graduação Sanduíche” por sua consolidação como o principal parâmetro governamental de avaliação do desempenho dos estudantes brasileiros egressos do ensino médio, e sendo este progressivamente adotado pelas Instituições de Ensino Superior no país como meio de aprovação ao Nível Superior.

Quais os benefícios dos bolsistas do programa?

O programa Ciência sem Fronteiras disponibiliza para os bolsistas de Graduação Sanduíche os seguintes benefícios: mensalidade de bolsa, auxílio-instalação, auxílio material didático, passagens aéreas e seguro saúde. Para as outras modalidades, caso aplicável, são acrescentados os benefícios específicos, por exemplo, inclusão de taxas escolares (se exigidas pela Instituição) e taxas de bancadas.

Quais os requisitos para participação no programa?

  • Ser brasileiro ou naturalizado;
  • Estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil em cursos relacionados às áreas prioritárias do Ciência sem Fronteiras;
  • Ter sido classificado com nota do Exame Nacional do Ensino Médio – ENEM – com no mínimo 600 pontos considerando os testes aplicados a partir de 2009;
  • Possuir bom desempenho acadêmico;
  • Ter concluído no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso de graduação.

Países participantes do Ciência sem Fronteiras (clique no país para mais detalhes)

  • Alemanha
  • Austrália
  • Áustria
  • Bélgica
  • Canadá
  • China
  • Coreia do Sul
  • Dinamarca
  • Estados Unidos
  • Espanha
  • Finlândia
  • França
  • Holanda
  • Hungria
  • Índia
  • Irlanda
  • Itália
  • Japão
  • Noruega
  • Nova Zelândia
  • Reino Unido
  • República Tcheca
  • Rússia
  • Singapura
  • Suécia
  • Ucrânia

A interlocução com o Programa Ciência sem Fronteiras deverá ser realizada obrigatória e exclusivamente pelo sitio www.capes.gov.br/faleconosco – escolhendo a opção Ciências sem Fronteiras e posteriormente Bolsas no Exterior. Pelo telefone 0800-616161 marque a opção 0 sub-opção 1, de segunda a sexta-feira, no horário de 8h as 20h, observado o horário oficial de Brasília. Outras informações podem ser obtidas em www.cienciasemfronteiras.gov.br

Compartilhar:
}